Ílhavo

23 Milhas ergue 28 metros do maior farol português em cartão

Depois de ter construído os mais emblemáticos monumentos um pouco por toda a Europa, o francês Olivier Grossetête estreia-se em Portugal para a construção do “Castelo de luz”, que reproduz o Farol da Barra através de uma réplica, em cartão, com 28 metros de altura. Convocando a comunidade para a construção desta instalação, no centro de Ílhavo, este é um desafio do 23 Milhas, projeto cultural do Município de Ílhavo, que parte do maior farol português, num apelo à força, união e energia dos participantes. O Farol da Barra é mote para um projeto que convoca todas as pessoas da comunidade a participar, através de oficinas de construção divididas por turnos a partir de 26 e até ao dia 29 de julho e, posteriormente, na elevação da estrutura, bem como no seu desmantelamento.

Este farol monumental, em cartão, é construído em conjunto naquela que é, do início ao fim, uma performance comunitária, sendo que os participantes constroem o farol a partir de caixas de cartão e fita-cola, sem apoio de máquinas, recorrendo apenas à sua ação conjunta.

Se a primeira fase é de construção coletiva, a segunda é a da instalação do “Castelo de luz” no Jardim Henriqueta Maia e a terceira a da sua demolição, ato que será também conjunto e levado a cabo como uma celebração, um momento de união e harmonia, com um concerto da Banda dos Bombeiros Voluntários de Ílhavo – Música Nova exclusivo e criteriosamente desenhado para o momento (1 de agosto, 18h00).

A concretização de todo o projeto divide-se em três momentos: as oficinas de pré-construção, em que se preparam os elementos que constituem o farol na Casa da Cultura de Ílhavo, a sua construção e progressiva elevação no Jardim Henriqueta Maia e a performance final, em que o público terá oportunidade de destruir a estrutura.

Da mesma forma que a sua construção é um momento de encontro, em que se sente a força da energia coletiva do projeto, a demolição é simbólica: as pessoas são tão capazes de erguer uma tonelada de luz como de extingui-la.
Este “Castelo de luz” é uma reflexão sobre união e desapego, mas também sobre a imagem e o simbolismo da arquitetura que explora o espaço urbano, sendo um projeto social e de reflexão política que nos permite questioná-lo em conjunto. Todo o cartão utilizado e depois destruído nesta performance será, posteriormente, reaproveitado.

As oficinas de construção decorrem de 26 a 29 de julho, na Casa da Cultura de Ílhavo. Nos dias 31 de julho e 1 de agosto o “Castelo de luz” está no Jardim Henriqueta Maia, onde será demolido, na tarde domingo. As inscrições para as oficinas estão abertas podem ser efetuadas para o email: [email protected]

Todas as informações sobre os turnos e restantes dados estão disponíveis em www.23milhas.pt.

Todas as Categorias