Santa Maria da Feira

Alunos fazem balanço “muito positivo” dos estágios profissionais

Os 29 alunos do ensino secundário profissional do concelho que realizaram estágios profissionais em Espanha, ao abrigo do Programa Erasmus+, regressaram a Santa Maria da Feira mais enriquecidos e com muitas histórias para contar. Quatro deles partilharam as suas experiências e são unânimes no balanço: “muito positivo, valeu a pena”.

Diogo Soares, 20 anos, é aluno do 12º ano do Curso Profissional de Cozinha/Pastelaria da Escola Secundária de Santa Maria da Feira. Estagiou num restaurante da zona histórica de Málaga, onde fez um pouco de tudo. “Faz parte desta experiência trabalharmos em todas as áreas e todas foram importantes”, conta o jovem, que já se encontra num hotel da capital portuguesa a realizar outro estágio profissional. Para Diogo, “trabalhar com outras culturas, conhecer novos hábitos e pratos típicos foi o mais enriquecedor”. De manhã, fez uma formação de espanhol, à tarde estagiou no restaurante e, nos tempos livres, conheceu o património da cidade. O jovem não tem dúvidas de que esta experiência “valeu a pena” e tudo foi aprendizagem e crescimento, incluindo as dificuldades de uma estadia partilhada.

18 anos, Beatriz Almeida, aluna do 11º ano do Curso Profissional de Animação Sociocultural da Escola Secundária Coelho e Castro, revela uma enorme capacidade de adaptação e a motivação de quem retira o melhor de cada experiência. Rumou a Barcelona para um estágio na sua área vocacional, mas um imprevisto encaminhou-a para a área da hotelaria, que acabou por revelar-se “muito enriquecedora”. Com grande entusiasmo, a jovem faz o balanço: “muito positivo, aprendi muita coisa nova, melhorei a minha comunicação, autonomia e maturidade, treinei a língua espanhola e sobretudo fiz o bem”. Beatriz garante que não mudava nada nesta experiência e explica porquê: “adapto-me, esforço-me e nunca desisto”.

Sevilha foi o destino de estágio de Rafaela Marques, 18 anos, aluna do 12º ano do Curso Profissional de Vendas da Escola Profissional de Paços de Brandão. Durante um mês, teve a oportunidade de aplicar muitas das técnicas de venda que aprendeu na escola. Estagiou numa loja de vestuário da cidade e, apesar do desafio de uma língua diferente, “toda a experiência foi muito positiva, valeu a pena”. A jovem revela que desenvolveu a sua comunicação e autonomia numa “cidade espetacular”, onde as pessoas gostam de conviver e é fácil o relacionamento. O que mais estranhou foram os horários de trabalho, com pausas prolongadas para almoço e encerramento tardio, que rapidamente aprendeu a conciliar com visitas culturais e turísticas.

Luisayde Hernandez, 19 anos, é aluna do 11º ano do Curso Profissional de Juventude da Escola Secundária de Arrifana e ainda completava os últimos dias de estágio quando fez o primeiro balanço: “sinceramente, está a superar as minhas expectativas, estou a gostar imenso”. Estagiou numa instituição que trabalha com latino-americanos residentes em Barcelona. O facto de ser venezuelana e de falar castelhano “facilitou muito” a comunicação e proporcionou-lhe uma experiência ainda mais enriquecedora. Luisayde gosta de aprender, de conhecer pessoas novas e novos lugares, por isso, encontrou neste estágio uma excelente oportunidade. “Aprendi a viver sozinha, a fazer compras, a gerir dinheiro, a andar de transportes públicos, a comunicar com os outros”, conta a jovem, com uma certeza: “vou voltar para Portugal muito enriquecida a nível pessoal e profissional”.

Os 29 alunos que realizaram estágios de um mês em cidades espanholas foram os primeiros embaixadores dos projetos “Oportunidades Formativas: Feira+Europeia” e “Europa sem Fronteiras”, promovidos pelo Município de Santa Maria da Feira no âmbito das mobilidades de estágios profissionais ao abrigo do programa Erasmus+, financiado pela União Europeia.

Todas as Categorias