Mealhada

Mealhada reforça combate à vespa asiática

Em véspera de se reiniciar o novo ciclo anual da vespa asiática, a Câmara da Mealhada prepara-se para colocar no terreno uma centena de armadilhas seletivas, dando continuidade ao combate que tem travado e que já apresenta resultados: menos 81 participações de ninhos, menos 31 ninhos intervencionados e ainda uma redução de 29 ninhos primários intervencionados.

A Câmara da Mealhada vai colocar 100 armadilhas seletivas para vespa velutina (com feromonas atrativas para a espécie e repelente para insetos polinizadores) nas principais áreas de floração das freguesias do município. A operação, que conta com o apoio da Associação Modelismo do Centro de Portugal (AMEP) e das juntas de freguesia concelhias, vai iniciar-se muito em breve para que, nos próximos 60 dias, seja capturado o maior número possível de vespas fundadoras, as que dão origem a novas colónias, nesta fase do ano.

Foi difícil encontrar uma metodologia eficaz, mas Carlos Filipe, AMEP, que apoia cerca de 100 municípios no país, no combate à vespa velutina, inclusive a Mealhada, acredita terem encontrado o caminho certo. “A destruição de ninhos com químicos biodegradáveis juntamente com a colocação de armadilhas seletivas revelou-se altamente eficaz e passámos de uma realidade em que havia um crescimento exponencial de ninhos para uma redução. Neste momento, aqui na região, em 12 dos 19 municípios da CIM- Região de Coimbra já se nota esta diminuição de ninhos”, referiu, numa reunião com a Câmara da Mealhada, as juntas de freguesia e a Associação de Apicultores do Litoral Centro.

Nos últimos dois anos, a Mealhada distribuiu à comunidade milhares de armadilhas que foram feitas no Centro de Interpretação Ambiental, com a colaboração dos alunos das escolas. Os resultados começam agora a surgir, nomeadamente junto dos apicultores, que conseguiram recuperar alguma da sua produção de mel. Se no ciclo 2019/ 2020, o Município registava 287 participações de ninhos, com 192 intervencionados, sendo destes 40 primários, em 2020/ 2021 registaram-se 206 participações, 161 ninhos intervencionados, dos quais 11 primários.

“O objetivo é dar continuidade a este plano e reduzir ainda mais, sobretudo, com o rigor técnico de que agora dispomos”, sublinhou Carlos Filipe.

Na Mealhada, o combate à vespa é feito com apoio das duas corporações de bombeiros (Mealhada e Pampilhosa), às quais foi facultada arma de ar comprimido, que permitem atingir os ninhos com um tratamento químico capaz de causar a destruição dos ninhos e das vespas. Após a sinalização do ninho à Autarquia, cada corporação atua na sua área, procedendo à destruição do mesmo.

A comunicação dos ninhos por parte da população é central em todo o processo, mas esta não pode ser feita individualmente, porque, se não for feita corretamente, pode originar diversos ninhos secundários. A forma correta de atuar é comunicar à Câmara Municipal da Mealhada (231 200 980 ou [email protected]), às juntas de freguesia ou mesmo aos bombeiros a localização do ninho avistado.

Todas as Categorias