Águeda

Câmara de Águeda implementa medida inovadora de promoção de segurança rodoviária

Área anti-derrapante foi colocada junto a duas passadeiras, na Estrada Nacional 1, próximo ao Hospital Conde Sucena

A Câmara Municipal de Águeda colocou, ontem, material anti-derrapante na Estrada Nacional N.º 1, junto a duas passadeiras, nas imediações do Hospital Conde Sucena. A medida, inserida numa lógica de promoção de segurança rodoviária, servirá como “tubo de ensaio” para ser aplicada noutras áreas da cidade, consideradas de maior risco de acidentes rodoviários e/ou atropelamentos.

Nestas áreas, em ambas as faixas de rodagem e de uma forma intercalada, foi aplicado pelos serviços municipais, um produto à base de resinas com alta aderência e plasticidade, que, em caso de travagem, faz com que as viaturas não derrapem e parem mais rapidamente, evitando potenciais acidentes.

A aplicação desta medida, por um lado, poderá ter um efeito dissuasor, uma vez que, pela sua cor avermelhada, induzirá o condutor a uma maior contenção na velocidade e, por outro, permitirá prevenir tanto os acidentes rodoviários como potenciais atropelamentos, devido ao material de grande aderência.

“Esta é uma experiência utilizando um produto com características inovadoras que tem por objetivo a prevenção e promoção da segurança rodoviária, bem como a proteção dos peões”, disse Jorge Almeida, Presidente da Câmara Municipal de Águeda, acrescentando que, após esta fase de teste da aplicação desta medida, será possível avaliar tanto a durabilidade da resistência do material em caso de travagens como a manutenção da cor, os dois fatores diferenciadores desta medida.

A escolha do local para a aplicação piloto deste material foi estratégica, sendo que uma das áreas é junto à passadeira em frente ao Hospital Conde Sucena e a outra próximo da central de camionagem, zonas centrais e na confluência da EN1, onde o fluxo de tráfego é intenso e o perigo de acidente é maior, pelo que “a avaliação será mais consistente com o propósito a que se destina esta medida”, concluiu Jorge Almeida.

Colocar comentário

Clique aqui para colocar um comentário

Todas as Categorias